Psicose

A depressão é um transtorno mental que afeta pessoas de todas as idades. Conheça os sintomas, diagnóstico, tratamentos e compreenda em quais casos é necessária a internação psiquiátrica.

O que é Depressão

A depressão é um transtorno psiquiátrico em que uma alteração cerebral faz com que o indivíduo tenha mudanças de humor nas quais sinta profunda tristeza ou desânimo diante da vida. É uma doença crônica, recorrente, complexa e que exige tratamento ao longo de toda a vida.

A depressão é uma doença mental que acomete mais de 300 milhões de pessoas ao redor de todo o mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, são mais de 12 milhões, o que o torna o 5° país com a maior prevalência do mundo. O transtorno pode aparecer na infância, mas é mais comum a partir da adolescência. Assim, a maior parte dos casos se concentra na extensa faixa da população de 14 a mais de 60 anos, atingindo também idosos.

A causa exata da depressão, em que há disfunção bioquímica cerebral, pode ter influência de fatores como genética, ambiente e organismo, podendo ou não serem combinados. Sabe-se que mulheres são mais suscetíveis a ela devido à maior quantidade de oscilações de hormônios com as quais sofrem durante seu período fértil.

Sintomas da Depressão

A depressão é caracterizada por tristeza profunda e desânimo excessivo, em que o paciente não consegue ter esperança ou mesmo vontade de realizar suas tarefas do dia a dia. Abaixo, listamos alguns dos principais sintomas psíquicos e físicos desse transtorno.

Sintomas psíquicos

Pessoas com depressão podem apresentar comportamentos como pensamentos negativos, tristeza, queda brusca de humor, perda de interesse por tudo na vida, diminuição da autoestima, dificuldade de se concentrar, limitações ao sentir prazer, excesso de culpa, pensamentos suicidas.

Sintomas físicos

A depressão é caracterizada por tristeza profunda e desânimo excessivo, em que o paciente não consegue ter esperança ou mesmo vontade de realizar suas tarefas do dia a dia. Abaixo, listamos alguns dos principais sintomas psíquicos e físicos desse transtorno.

Diagnóstico da Depressão

Atenção: requer um diagnóstico de médico psiquiatra

O diagnóstico da depressão requer atenção especial de um psiquiatra, já que os sintomas se assemelham aos de outros males. Dessa forma, é feito o procedimento clínico em que o médico analisa o histórico do paciente e observa se os sintomas, associados, têm sido recorrentes.

Tratamento da Depressão

Atenção: requer um diagnóstico de médico psiquiatra

Tratamento Médico e Terapias

Grupo de Apoio

Um fórum para terapia e troca de experiências entre pessoas com uma condição ou objetivo similar, como ansiedade ou esquizofrenia.

Terapia Cognitiva

Psicoterapia dedica a substituir pensamentos negativos e distorcidos por pensamentos positivos e precisos.

Psicoeducação

Aprendizado sobre saúde mental que também serve para apoiar, valorizar e dar autonomia aos pacientes, de forma que possam conviver com a depressão.

Terapia Familiar

Aconselhamento psicológico que permite que as famílias resolvam, juntas, seus problemas e aprendam a lidar com a situação difícil pela qual o paciente depressivo passa.

Terapia Comportamental

Terapia focada na modificação de quaisquer comportamentos prejudiciais associados a um distúrbio psiquiátrico, como a depressão.

Terapia de Grupo

Tipo de psicoterapia na qual o terapeuta trabalha com clientes em grupo, em vez de sessões individuais. Pode ser uma boa alternativa para desabar sobre as dores de quem lida diariamente com a depressão.

Medicamentos

Medicamentos Antidepressivos

Reduzem ou melhoram quaisquer sintomas ligados à tristeza profunda.

Ansiolíticos

Reduzem os efeitos da ansiedade e ajudam o paciente a lidar com preocupações excessivas devido ao diagnóstico depressivo.

Antipsicóticos

Ajudam a controlar tremores e a evitar psicoses.

Internação para quem tem Depressão

Situações de crise e emergência: (011) 4668-7455 – opção 5

A internação para pacientes com depressão é uma decisão dolorosa para a família, mas pode se tratar, em estágios mais avançados, de uma questão de vida ou morte. Não à toa, muitos pacientes que convivem com a depressão têm pensamentos suicidas. Dessa forma, em situações em que se constata um considerável risco de suicídio e perigo às vidas de outras pessoas, é difícil imaginar forma mais eficiente de tratamento, considerando-se que outras vias tais quais remédios e terapias podem exigir um tempo mínimo para que seus efeitos sejam manifestados. Sendo assim, neste período pode ser requerida uma vigilância estreita em um hospital psiquiátrico.

Internação voluntária - com consentimento paciente

Se o paciente está ciente de sua situação e dos problemas com os quais convive, além de sofrer pelos sintomas da depressão, capazes de impactar vida, autoestima, trabalho e, principalmente, relacionamentos, a internação voluntária a ajuda a estar em contato com uma equipe multidisciplinar apta a zelar por seu tratamento e a reabilitá-lo de modo que possa voltar a conviver bem com si mesmo e com aqueles que ama.

Internação compulsória - contra a vontade do paciente

Família, cônjuge e amigos sofrem demasiadamente quando convivem com alguém querido que tem um transtorno como a depressão, triste por natureza. Se ele for levado a circunstâncias extremas, em que o indivíduo se coloca ou põe outras pessoas em risco, a internação compulsória é uma das melhores formas de ajudá-lo e deixá-lo sob a assistência de equipe multidisciplinar.

Sobre o Hospital Santa Mônica

O Hospital Santa Mônica zela pela saúde mental de crianças, jovens e adultos, além de tratar dependência química e de se dedicar à geriatria. Em 2019, completa 50 anos que atua como referência de hospital psiquiátrico, auxiliando também pacientes com depressão, em todos os seus estágios. Possui dúvidas sobre esse conteúdo? Para saber mais, entre em contato conosco preenchendo nosso formulário de atendimento.